Resposta Sanitária à Pandemia de COVID-19 entre Portugal e os PALOP

No âmbito do Plano de Ação na Resposta Sanitária à Pandemia de COVID-19 entre Portugal e os PALOP e TL (Julho de 2020), foi estabelecido um acordo de cooperação entre o Camões IP e a Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos, no eixo “Formação”, formalmente assinado a 16 de Abril de 2021.

https://instituto-camoes.pt/sobre/comunicacao/noticias/camoes-i-p-e-spci-assinam-acordo-de-parceria-e-projeto-para-a-guine-bissau

  • Mário Branco

    Enfermeiro Especialista

    SMI do Centro Hospitalar São João
     

    "Enquanto Enfermeiro Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica a trabalhar regularmente com o doente crítico, esta missão foi uma experiência única: ter uma oportunidade de partilhar conhecimento e experiência com profissionais de saúde que trabalham num país onde o sistema de saúde tem muitas fragilidades, com o intuito de contribuir para a melhoria da prestação de cuidados à população guineense ao doente crítico. No final da 1ª missão no Hospital Nacional Simão Mendes, na Guiné, a enorme motivação e vontade de aprendizagem dos formandos foram fatores muito importantes para o bom desempenho durante toda a formação. Para o futuro, será importante manter o acompanhamento dos profissionais formados, assim como formá-los em diversos outros temas relativos ao doente crítico e acompanhá-los no terreno."

A Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos organizou um Curso de Formação em Abordagem e Tratamento ao Doente Crítico COVID-19, constituído por uma componente teórica e outra prática.

  • Carolina Costa

    Médica Intensivista

    SMI do Hospital Fernando da Fonseca
     

    "Adorei esta experiência e este trabalho de equipa! Superou todas as minhas expectativas. Encontrámos um grupo de pessoas extraordinárias, sedentas de aprender, entusiasmadas e muito motivadas. Foi muito enriquecedor e gratificante trabalhar com os colegas da Guiné-Bissau. Uma verdadeira lição de humildade. Sinto que fizemos a diferença, mas ainda temos muito para colocar em prática. Este foi apenas o início de um processo, que espero venha a ser um sucesso."

A primeira edição da formação teórica para Angola e Cabo Verde decorreu com sucesso, entre Dezembro de 2020 e Janeiro 2021, e a segunda edição entre 15 de Março a 15 de Abril, para a Guiné-Bissau e Moçambique. Todos os países mostraram interesse no módulo de formação prática presencial.

Assim, com a estreita colaboração do Camões IP e o Alto Comissariado para a COVID-19 da Guiné-Bissau, foi organizada uma missão formativa para a Guiné-Bissau, decorrente do acordo entre o Camões IP e a SPCI, enquadrada na Cooperação Tripartida Portugal-Israel-Guiné Bissau, que decorreu com sucesso naquele país parceiro (1 a 11 de Maio de 2021).

  • Ruben Fidalgo

    Enfermeiro

    SMI Centro Hospitalar de Leiria
     

    "O que dizer de tudo o que vivenciámos numa palavra: Enriquecimento. De facto a expectativa era enorme, o desconhecido criava em mim uma grande ansiedade. Deparámo-nos com médicos e enfermeiros dedicados, com conhecimentos excelentes e muita vontade de os colocar em prática. As limitações de experiência prática, principalmente com novos equipamentos fornecidos no âmbito da COVID-19, promovem nestes profissionais a vontade de treinar e desenvolver competências para poderem prestar melhores cuidados. Assim decorreu com enorme adesão e vontade a formação prática com demonstração de muito saber da parte dos formandos. Muito também aprendi com eles, grandes lições de humildade, de quem com muito pouco faz imenso. Os doentes que vimos ser salvos sem recorrer a praticamente nenhuma tecnologia (que para nós dos SMI é o nosso maior aliado) provaram que também tínhamos a aprender com eles. Nostalgia é o que me acompanha agora, sentimentos de que muito mais poderia fazer, mas que também as limitações do sistema são imensas. Mágoa pelos nossos colegas médicos e enfermeiros que fazem de tudo para salvar e muitas vezes nem recebem para tal, dando um novo olhar sobre o tema vocação. Gostaria de fazer mais... mas o quê e como? Espero voltar e continuar este contributo o melhor que sei e cada vez melhor."

Este acordo, com uma periodicidade de 3 anos tem por objectivo assegurar a existência de recursos humanos no sistema de saúde da Guiné-Bissau, dotados de competências clínicas assistenciais na abordagem ao doente crítico e mais concretamente em contexto de pandemia COVID-19.

  • Nuno Gatta

    Intensivista

    SMI Centro Hospitalar S. João
     

    "Em tempos de Medicina Intensiva altamente tecnológica e baseada na evidência, sermos confrontados com uma realidade desprovida de recursos básicos é avassalador, a humildade é inevitável, semiologia e intervenções simples ganham uma nova dimensão. A Medicina Intensiva é uma área de profundo déficit de cuidados na Guiné-Bissau, onde qualquer melhoria de cuidados ao doente crítico pode ter um extraordinário impacto. Sabemos que neste contexto a formação pontual e avulsa não é consequente, daí que este projecto implica não só a dotação das instituições com equipamentos, mas também uma formação e acompanhamento presencial e à distância mantidos a longo prazo."


SPCI Guidelines
Guidelines